Pare, olhe, escute

Investir no próprio negócio é o desejo de muitos. E ser um franqueado é uma alternativa considerada segura para começar a empreender. Mas nem tudo que reluz é ouro e é preciso ficar atento para não perder dinheiro. (...) o primeiro passo é fugir de negócios onde a relação “investimento alto e ticket médio baixo” – e, consequentemente, necessidade de muita geração de caixa – seja claramente identificada. Negócios que exigem um ponto de venda com custo muito alto também devem ser evitados. Luvas de ponto de venda não significam investimento e, sim, despesa. É preciso ver bem os contratos de shoppings por exemplo. Outro cuidado importante é o de evitar operadores de franquias que têm mais de uma marca. Em geral, 34% destes franqueadores não têm sequer um ano de fundação e lançam franquias” (...) paleterias, iogurterias e esmalterias estão entre os negócios que já têm empreendedores em excesso e que merecem uma avaliação mais minuciosa antes da abertura de uma franquia.

Para Ana Vecchi, diretora da consultoria Vecchi Ancona, os setores de risco são todos, pelo próprio mercado e pela situação que o país atravessa. “As franqueadoras estão sentindo este receio em investir por parte dos candidatos às franquias, por conta da incerteza da economia. Na hora de investir, vale olhar a taxa de crescimento do segmento escolhido, não abrir loja em shopping ainda sem maturação e avaliar quais empresas estão mais estruturadas para enfrentar a crise.”

Categorias

Newsletter

Redes Sociais

  • Facebook
  • Linkedin
  • Youtube
  • Instagram

Posts Recentes