Especialistas falam sobre opções baratas

“Há seis anos, eu jamais estaria frente a frente com um advogado, contador, entre outras tantas profissões, para falar sobre a limpeza de piscinas. Era inimaginável. Mas, com a crise, muitos desses profissionais, acabaram migrando para a microfranquia”. A experiência é de Eliandro de Paulo, responsável pela expansão das franquias Trata Bem iGUi.

“Muita gerente perdeu o emprego após muitos anos com salário alto e, agora, não consegue reposição imediata por vários motivos. Então, essas pessoas pegam o dinheiro e investem no meio produtivo. Com o franchising, esse profissional corre menos riscos. Mas tem que haver um estudo para decidir com que marca se associar”, acrescenta o presidente da Associação Brasileira de franchising no Rio (ABF-Rio).

De fato, o empreendedor que se interessar pelo mundo das pequenas franquias deve atentar para o valor do investimento, ou seja, quanto terá que pagar num primeiro momento, e também para o preço dos royalties, que pode ser cobrado ou não, além do tempo previsto de retorno dos recursos que foram aplicados.

“É preciso conhecer o franqueador, saber se os outros franqueados estão satisfeitos com o negócio”, completa o consultor Paulo Ancona.

Categorias

Newsletter

Redes Sociais

  • Facebook
  • Linkedin
  • Youtube
  • Instagram

Posts Recentes